Padrão Racial

A raça Santa Gertrudis surgiu a partir de um desafio: produzir um gado rústico, perfeitamente adaptado às duras condições climáticas do sul dos Estados Unidos visando à produção econômica de carne. Assim, a fazenda King Ranch, no Texas, iniciou os primeiros cruzamentos entre seus melhores animais de origem zebuína e européia. O Santa Gertrudis é considerado a primeira raça sintética formada no hemisfério Ocidental, com base no cruzamento Zebu x Europeu, sendo utilizado o cruzamento de 3/8 Brahman e 5/8 Shorthorn. Sua pelagem é vermelha e os pelos são curtos e lisos. Os chifres são de tamanho médio, havendo a variedade mocho natural. O temperamento é dócil mesmo nos touros. Graças à prática de cruzamentos absorventes utilizando touros puros e devidamente registrados, é possível aos criadores formarem rebanhos Santa Gertrudis . Sem maiores problemas, pode um pecuarista proceder à substituição de uma vacada comercial de baixa produtividade, por animais mestiços ou cruzados, onde se melhora o rebanho de geração em geração até alcançar o puro por cruza. Como toda raça bovina, o Santa Gertrudis dispõe de um padrão estabelecido pela ABSG e oficializado pelo MAPA.